vénus

Vénus é o segundo planeta do sistema solar, estando a cerca de 105.000.000 km (0.7 UA) do Sol, apresentando deste modo um período de translação de cerca de 224.7 dias terrestres e um período de rotação de 243 dias terrestres, sendo esta rotação retrógrada. O seu nome provém da mitologia romana, em homenagem à deusa do amor e da beleza Vénus.

Este planeta é muitas vezes apelidado de irmão da Terra devido a similaridades no tamanho, massa e composição, sendo ambos planetas telúricos, no entanto são muito diferentes em termos atmosféricos e consequentemente de temperatura média. O seu raio é cerca de 0,95 do da Terra, e em termos de massa esta é 80% da massa da terrestre, fazendo por isso com que a gravidade em Vénus seja menor do que na Terra, sendo de 8,87 m/s2. A atmosfera de vénus é a mais densa dos quatro planetas terrestres, sendo constituída maioritariamente por dióxido de carbono (96.5%), nitrogénio (3.5%) e outros gases vestigiais e a sua pressão atmosférica é aproximadamente 92 vezes a pressão terrestre. Em termos de temperatura, este irmão da terra é um autêntico inferno, com as mínimas a chegar a 377 ºC e as máximas a 487 ºC, estas temperaturas verificam-se devido a um intensíssimo efeito de estufa que se verifica neste planeta, apresentando temperaturas superiores a Mercúrio, apesar de estar ao dobro da distância ao Sol.

O interior de Vénus é provavelmente muito semelhante ao da Terra, apresentando um núcleo de ferro com um raio de cerca de 3000 km, um manto de rocha derretida, que parece ocupar a maioria do planeta. Dados recentes da Magalhães indicam que a crosta de Vénus é mais forte e densa do que se pensava, demonstrando inexistência de placas tectónicas, provavelmente devido à superfície e manto secos. Isto resulta numa reduzida perda de calor pelo planeta, impedindo-o de se arrefecer, e esta é a provável explicação para a ausência de um campo magnético neste planeta. Vénus é, portanto geologicamente ativo, apresentando por isso uma crosta muito recente com poucas crateras de impacto.

Este planeta é o objeto natural mais brilhante do céu, além do Sol e da Lua, já que é o planeta mais próximo da Terra, e apresenta uma cor branca-amarelada e à medida que se move na sua órbita Vénus apresenta, na visão telescópica, fases como as da Lua.

Houveram várias missões a Vénus sendo a primeira aterragem neste planeta levada a cabo pela antiga União Soviética, com a sonda Venera 3, esta foi lançado a 16 de novembro de 1965 do Cazaquistão. Terá sido considerado o primeiro objeto humano a pousar noutro planeta embora este pouso não tenha sido controlado, e as comunicações com a Terra tenham sido perdidas durante a aterragem. A primeira fotografia a cores da superfície de Vénus viria a ser capturada no dia 1 de março de 1982, dia em que o engenho espacial russo Venera 13 aterrou com sucesso no nosso vizinho mais próximo, sobrevivendo por 127 minutos.

Recentemente a descoberta de fosfina na atmosfera de Vénus reacendeu a esperança de encontrar vida extraterrestre, já que em planetas telúricos não existem ambientes para a fosfina ser produzida espontaneamente, sendo hipoteticamente a única hipótese ter sido produzida por vida. Apesar deste ser um planeta teoricamente hostil, as suas nuvens podem ser locais promissores à presença de vida, apesar de serem locais extremamente ácidos, apresentam temperaturas na ordem dos 30 ºC, podendo comportar vida microbiana.

Texto escrito pelo elemento da secção, Tiago Resende.